Copyright Disclaimer

Do not reproduce any of my texts published here. Plagiarism will be detected by Copyscape.

domingo, abril 29, 2012

As sementes do tempo

As sementes do tempo









Soaroir 28/4/2012

Image: David Liittschwager

Introdução


 
O pensamento não se submete a cárceres
Nem o sentimento à tabela periódica
E a poesia, coitada, não é versada em lógica.
Só os poetas, estes tontos, dizem
o que precisam dizer...
 

Parte I



Se baratas não têm cérebro

E sobrevivem as intempéries

Vou deixar a fragilidade

E de acusar o destino.

Casca grossa eu já possuo

Antenas por aqui não faltam

Só me resta é avoar;

Mudar um pouco de ralo

E do cheiro deste esgoto;

Da merda do povo de cima

Tanto quanto do de baixo;

Da lixeira no pé da escada

Exalante pelo (meu) basculante;

Das prostituições no entorno...

Socorro!  Socorro!

Que eu não me acostume com o lixo!

 Podia ter sido diferente...

- E por que não foi?

Falta de instinto?

- Não sei. Foco, talvez

Discalculia...

Nenhum comentário: